InícioFAQBuscarRegistrar-seLogin

Compartilhe | 
 

 Philip Pelegrini - Berkana 7º ano

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Philip Pelegrini




MensagemAssunto: Philip Pelegrini - Berkana 7º ano   Ter 26 Out 2010, 3:55 pm

-----------------------------
Dados do Jogador
-----------------------------


Nome: Pinho
Contato: philipe_ricardo_@hotmail.com
Localização: Vitoria Santo Antão PE
Quanto tempo joga RPGs: Mais de um ano


-----------------------------
Dados do Personagem
-----------------------------


Nome Completo: Philip Pelegrini
Sangue: Mestiço
Data de Nascimento: 05/07/2012
Onde Nasceu: Londres, Inglaterra.
Onde Mora Atualmente: Rua 13 nº 107, Olinda, Pernambuco-Brasil

Casa: Berkana
Profissão: Estudante
Ano: Sétimo

-----------------------------
Dados Familiares
-----------------------------


Nome dos Pais: Jordan Pelegrini ; Emily L. Pelegrini
Outros Parentes: Kristine Pelegrini, Angeline Pelegrini, Richard Pelegrini, Felix Pelegrini, Lisy C. Montez
Situação Finaceira: Rica, com bastante imóveis, bem materiais e uma quantia em dinheiro sustentavelmente boa.

-----------------------------
Dados Físicos
-----------------------------


Definição do Corpo: Não muito definido. 1,85m e 70 kg.
Cabelo: Escuro, cacheado e médio em tamanho.
Olhos: Violeta - O garoto é anormal.
Outras Características: ~x~
Photoplayer: Jackson Rathbone

-----------------------------
Dados Psicológicos
-----------------------------


Personalidade: Ruim?! O Phil é o demonio em pessoa. Ama, acho que apenas uma garota, mas ainda assim sente o amor verdadeiro em seu coração. Odeia mestiços e sangues-ruim, morre de nojo de ambos. Seu humor é negro e não admite pessoas quererem ser melhores que ele em nada.
Qualidade: Amigo e fiel, para quem lhe agrada e pode lhe dar algo em troca, claro.
Defeitos: Mal humorado, sangue frio, invejoso, contraditório, preconceituoso, desrespeitoso e complexado.
Habilidade: ~x~

-----------------------------
Inventário
-----------------------------


Varinha: Fio de cabelo de Veela, Ameixeira Brava, 33 cm, Flexível.
Animal de Estimação: Coruja das Torres (macho) denominada Collins.
Objeto Mágico: ~x~

-----------------------------
Atributos
-----------------------------


Todos os campos dos atributos devem ser preenchidos com valores de mínimo 1 e máximo 8. Sendo para distribuição 18 pontos para alunos e 20 para adultos. Avisando que personagem com habilidades vampirescas tem 25 pontos para distribuir.

Agilidade: 4
Destreza: 3
Força: 4
Inteligencia: 3
Mira: 3
Popularidade: 1

-----------------------------
Biografia
-----------------------------

Noite de quinta-feira, era 05 de julho de 2012, o céu estava estrelado e sem nuvens, o céu estava limpo, a lua era magicamente cheia, uma noite fria e bela a ser apreciada tal como a beleza de um dia de sol. Foi nessa "egrégora" de vibração mágica que em Londres, Inglaterra, Emily C. Pelegrini dava a luz ao seu primogênito.

Emily era uma linda mulher, alta, branca, cabelos castanhos e longos, olhos azuis e lábios carnudos. Teve uma educação rígida, porém liberaria, de acordo com os padrões holandeses. Foi iniciada na bruxaria sanguínea de seus pais e desde criança acompanhava os rituais feitos e as rodas formadas, se especializando na arte da adivinhação e todos os tipos de jogos dessa linha. Estudou em escola de magia não gostando de se misturar com os "trouxas". Aprendeu todas as tarefas do lar se tornando uma moça de várias qualidades – ótima cozinheira, costureira, e exímia nos cuidados de uma casa. Logo, com todos esses dotes, recebeu o convite para casar-se, e assim conheceu seu marido ainda na fase da adolescência com quem rapidamente se casou.

Jordan, o pai, foi um famoso bruxo na sua época de adolescente se destacando entre os demais na arte do duelo. Hoje é membro do Ministério. Um homem sério, branco, cabelos negros como a noite e olhos escuros penetrantes. Conheceu Emily na sua fase jovem e por ela se apaixonou, tão logo foi apresentado aos pais dela, pediu-a em casamento. E assim nasceu Philip o primeiro dos três que tiveram. Ele e mais duas meninas.

Era um bebê estranho, branco, gordo e particularmente feio, (em discordância da beleza exótica de seus pais) causou o espanto de todos que os visitavam, principalmente seus progenitores que tentavam se convencer de sua beleza procurando traços semelhantes aos deles. Nem por isso deixou de ser o filho amado. Era o filho homem tão desejado por seus pais. O herdeiro do nome da família. O que daria seqüência a historia. Era o orgulho do pai e o mimo da mãe. As irmãs costumam se enciumar chamando-o de “queridinho da mamãe” o irritando profundamente.
Sua infância foi bem interessante. Conforme mencionado teve duas irmãs que fizeram parte da Família. Não gostava muito delas, pois vieram na fase que mais recebia atenções e acabou ficando enciumado de dividir a mãe e o pai com elas. De certa forma roubaram o amor e o carinho que era exclusivamente seu. Mas sentia que elas também se enciumavam, pois se destacava de suas irmãs, primos e primas por ser inteligente, articulador de planos macabros, líder nato, impõe opiniões, sempre parecendo ter razão, defendendo seus pontos de vista como ninguém. Digamos que isso irritava alguns, mas Philip nunca se incomodou, adorava irritar as pessoas ainda mais quando se tratava das irmãs.

Mas continuando... Ao completar dez anos de idade teve uma grande surpresa. Um presente que há tempos fazia parte de seus sonhos, algo muito querido e esperado. Finalmente ganhou de seus pais uma coruja. Seu semblante “sempre sério” rapidamente se transformou num largo e lindo sorriso – uma das coisas que tinha de melhor. Collins foi o nome escolhido para o animal precioso, que dali em diante se tornaria o único e melhor amigo de Philip, ao qual se confidenciava os planos mais miraculosos da existência humana. A coruja era considerado um animal de sabedoria, e sempre o intuía da melhor forma. Nessa fase já começou a ser despertada a sua natureza maligna, fazendo-o diferenciar das irmãs e demais parentes da família. Definitivamente era diferente. Sua melhor amiga, digamos namoradinha de infância, Penélope, tinha uma cachorrinha poodle de cor branca, era bonitinha mais muito folgada e sem graça e toda vez que ele ia visitar a amiga a cachorrinha chamada ”Nevinha”, latia feito louca até que num dia lhe mordeu, causando uma ira maligna em Philip. Marcou um dia de lua nova, às 00h00min de uma sexta-feira, fugiu da sua casa pela sacada, foi até a casa de Penélope, pulou o muro e antes que a cachorrinha pudesse latir foi esfaqueada e decepada sem dó. Os órgãos do animal foram espalhados pelo quintal acompanhados de risadas sinistras. Essa foi sua primeira vingança de morte de sua existência.

Em 2022, era um adolescente esperto e sério, sem muitos sorrisos a ninguém e quando completou 11 anos, recebeu a carta do Instituto de Magia Durmstrang, convidando para ingressar em um castelo de iniciação a magia, o que não foi nenhuma surpresa. Seu pai por ter conhecimentos em Durmstrang já tinha mexido os pauzinhos e comunicado a família, que todos seriam convocados para fazer seus estudos lá. Sabiam que o Instituto iria abrir grandes oportunidades em sua vida e que finalmente teria uma varinha e poderia fazer todas as coisas e magias que planeja, assim como seus pais faziam.

Queria Duelar e aprender feitiços e poções, queria aprender sobre as Artes das Trevas – sua matéria predileta. Contava os dias nas pontas dos dedos, e na folhinha pagã da cozinha de sua mãe; a ansiedade era enorme. Lembra que arrumou as malas na pressa, pegou Collins, foi atropelado por diversas vezes, por suas irmãs – no corre-corre – em casa, mas o final valeu à pena. Tudo estava pronto!
Mas tinha um pequeno probleminha para resolver com um "desafeto trouxa". Era um garoto de sua rua, que vez e outra ofendia suas irmãs e mãe, denegrindo suas imagens diante da vizinhança com frase do tipo:
- Suas bruxas do mal! (irmãs)
- Filhas de Satã (mãe e irmãs)

E isso não ia ficar assim. Com o conhecimento de ervas que tinha aprendido com sua mãe, preparou uma poção mágica e dias antes de partir para Durmstrang, armou uma situação para colocar no refrigerante do garoto o preparado mágico. Era uma erva que fazia estourar no corpo diversos furúnculos roxos. Para atingir principalmente a boca. Nem preciso dizer que no dia seguinte o garoto foi hospitalizado e ficou quase um mês sem poder falar.

Finalmente o dia do embarque chegou, era uma manhã ensolarada, os raios solares atingiam a força 14 (nível máximo) e um calor imenso fazia as pessoas derreterem em suas roupas. As mulheres tinham a pele brilhante, escorrendo a maquiagem, e o perfume logo vencia. Foi levado por seus pais até o porto, local este onde iria embarcar para o lugar que tanto desejava conhecer e ter experiências magníficas, quem sabe até conhecer novas pessoas e até fazer amigos, coisa que para ele era uma tarefa realmente difícil. O embarque foi rápido e confuso, pois no meio de tanto tumulto tinha que resolver a parte burocrática além de despedir dos pais. Mesmo assim valeu a pena e ele jurou para si mesmo jamais esquecer aquele momento tão esperado, que ao mesmo tempo se tornou o mais feliz de sua vida, era perfeito, finalmente se tornaria um bruxo de verdade e ficaria a sós com Collins, tudo que ele amava e precisava para ser feliz estava ali com ele, sentiria falta dos pais e do conforto de sua casa. Mas torcia para que caísse numa casa bonita e luxuosa, para não sentir tanta diferença com seu lar.

A chegada foi incrível assim como o embarque, já estava preparado para ser selecionado e tinha muito medo de ir parar na Mannaz, os nomes foram sendo chamados um por um, o coração de Philip batia cada vez mais rápido, até ser anunciado: “Philip Pelegrini”. Foi aí que tudo ficou realmente sinistro, ele tinha sido selecionado para Berkana, jamais na historia de sua família um Pelegrini tinha ido parar nesta casa, seria ele de muita sorte? Ou de muito azar? Para sua família certamente “o azarado”. Tão logo receberam a noticia, sua mãe lhe enviou uma coruja tentando convencê-lo para desistir e solicitar a troca. Usariam a influencia do pai Ministro para essa alteração. Escrevia que o destino estava brincando com ele e que não devia aceitar a brincadeira. O garoto já conhecia as casas comunais do Instituto e estava muito feliz em ter ido para Berkana, era lá que queria cair mesmo, sua personalidade tinha indicado aquela casa e ele não aceitaria a ideia da mãe de forma alguma. Não permitiria que o pai usasse sua influencia para alterar nada! Ele era diferente de todos os seus familiares e já estava decidido. Assim, foi. Realmente ninguém conseguiu alterar a decisão do chapéu e Philip teve que ficar na Berkana mesmo, defendendo-a sempre até sua morte.

Nos seus primeiros anos ganhou diversos inimigos, mas tinha um que era o pior de todos e que pertencia a Mannaz: Felix W. Stürmmer, não se suportavam e era realmente chato estar em um lugar quando esses dois se encontravam. Passavam em sua cabeça mil déias homicidas e freqüentemente se pegava articulando alguma delas.
Também conheceu um Berkano que o tomou como seu rival: Henri Crouch. Philip sempre foi muito invejoso e este cara em sua opinião era realmente bom, mas era metido e insuportável. Filho do diretor com diversos privilégios, sempre rodeado das meninas mais bonitas, inteligente, e tinha roubado o coração das meninas que ele tinha interesse. Um Maldito! Nesse meio tempo ganhou uma “amiga”, sim uma garota que ele confiava a sua própria vida, por quem tinha grande amor e também tivera no passado seu coração roubado por Henri – hoje praticamente casada com SAN esperando um filho. Fácil saber... A belíssima, inigualável e cheia de talentos: Laizis Avalon Draven.

No quinto ano, veio a grande transformação. Ele perdeu a imagem "robusta" e físico "grande" (gordinho) que teve desde seu nascimento, foi ganhando altura, conseqüentemente emagreceu muito, seu rosto foi se transformando em traços delicados como de sua mãe (pois os olhos eram do pai) ganhou uma barba meio falha, seu corpo ganhou músculos e contornos exuberantes, a voz ficou grossa, ficou o que todos chamavam de “moço bonito” e ouvia as garotas suspirarem pelos cantos. A puberdade finalmente tinha chegado assim como a explosão hormonal; e como todos os jovens Philip se encontrou irrevogavelmente apaixonado por uma garota. Aquela que escolheu para amar até o final de sua existência. O único problema desta paixão avassaladora era que a garota escolhida era ninguém mais que sua prima: Sarah W. Sturmmer. A Família era contra e não tinha a aprovação de ninguém. Ela também tinha saído de um namoro sério com aquele dito RIVAL e ainda sofria por ele.

Aparentemente o amor não era correspondido, ele fez diversas tentativas – as escusas de todos – mas sem nenhum sucesso, e sua prima já havia deixado clara as intenções de apenas amizade com ele. Digamos que ele se ressentiu e seu orgulho foi ferido. Mas logo se levantou e enxugou as lágrimas, pois um Berkano jamais chora por mulheres e sua prima ainda ia implorar por seu amor. Ai seria tarde e ele torcia para encontrar um novo amor antes que isso acontecesse. Pretendentes não faltavam e logo encontraria a mulher de sua vida.

O garoto está hoje, em seu 7º e ultimo ano de estudo, seu coração não sofre mais tanto, está calejado por aquela que amava e já não sofre tanto por esse amor. Tem diversos planos para esse ano, e almeja alcançar altos cargos após se formar. Tem alguns conhecimentos, inclusive seu pai já se prontificou em ajudar. Sua mente diabólica tem vários projetos de futuro que pretende por em ação. Sua mãe prevendo o caminho escuro do filho tenta orientá-lo a se afastar dessas idéias e o pai não vê isso com bons olhos e torce para que o filho não se desencaminhe. Quanto ao coração, conforme dito, não bate tão forte como antes, e tende para o mal, nada mais que isso, anseio somente ser no futuro um Comensal. Um dia terá tudo que querer, assim pensa. E seu sentimento firme com essa certeza, o levará ao sucesso.
Está se preparando para mais uma vez, retornar à Durmstrang. Só que desta vez de Navio.
Que os Deuses estejam comigo!


Última edição por Philip Pelegrini em Qui 28 Out 2010, 6:05 pm, editado 2 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Shadow




MensagemAssunto: Re: Philip Pelegrini - Berkana 7º ano   Qua 27 Out 2010, 1:41 pm

Antes de iniciarmos, peço que Siga o modelo exato e:



- Alinhe sua ficha (Centralizada ou Justificada)


- E retire quaisquer sinal de BBCode.



Assim que alterar, responda aqui.



Voltar ao Topo Ir em baixo
Philip Pelegrini




MensagemAssunto: Re: Philip Pelegrini - Berkana 7º ano   Qua 27 Out 2010, 9:08 pm

Editei, centralizei e justifiquei a biografia - história.

"- E retire quaisquer sinal de BBCode."

Você se refere ao "[center]" que estava solitario no inicio da ficha? '-'
Quaisquer é uma palavra no plural, portanto: sinais. Ou use o correto: "qualquer sinal".
Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidad
Convidado



MensagemAssunto: Re: Philip Pelegrini - Berkana 7º ano   Qui 28 Out 2010, 3:27 pm

Olá! Espero que sua passagem por aqui..."Seja Breve"

Primeiramente peço um valor ABSOLUTO de respeito com os selecionadores, pois nós que decidiremos quem VAI...ou QUEM FICA...E consideremos que respeito aprendemos em OFF. Acredito que deverá se preocupar maiormente com os seus erros do que com os nossos.

Agora Iniciemos sua Seleção

1. No "Dados do Personagem"


- O Senhor é Mestiço e não há nada que possa fazer. Caso deseje um personagem Sangue-Puro faça mais 2 antes desse.

- Retire qualquer informação que não foi solicitado, sobre seu sangue.

2. Na sua "Biografia"

Citação :
Noite de quinta-feira, era 05 de julho de 2012, o céu estava estrelado e sem nuvens, o céu estava limpo, a lua era magicamente cheia, uma noite fria e bela a ser apreciada tal como a beleza de um dia de sol. Foi nessa "egrégora" de vibração mágica que em Londres, Inglaterra, Emily C. Pelegrini dava a luz ao seu primogênito.

- Onde sua mãe teve o parto? Em algum jardim? Como ela pode saber se o céu estava estrelado? Mesmo respondendo essas informações, acredito que anos depois, não seja possivel, ela se recordar de como o céu se encontrava. Peço que arrume este início.

- O Segundo, Terceiro e Quarto parágrafo estão com excesso de pontuação. Neles são: Vírgulas e pontos finais. Diminua a quantidade dos mesmos, pois isso torna a sua história cansativa de ser lida.

Nesse momento, esses foram os erros. Faça a correção para que eu retorne a avaliar.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Philip Pelegrini




MensagemAssunto: Re: Philip Pelegrini - Berkana 7º ano   Qui 28 Out 2010, 6:10 pm

Editado!
Também espero que seja breve.

Informações retiradas. As coloquei para que estejam cientes que eu narrarei como um sangue-puro, ainda que me achem louco ou me advirtam por isto. Porque não criar dois persons antes? Não os usarei e o fórum vai ficar com duas contas sem uso o que eu não acho necessário.

Não irei tirar NENHUM informação sobre o parto de minha mãe, pois em momento algum disse que ela me contou como foi, eu o narrador do Philip - o off – sei que foi assim. É a minha narração e deve ser assim, a noite estava estrelada o céu limpo e ponto final.

Retirei alguma MUITA parte da pontuação, acho que se retirar mais o texto fica gramaticalmente errado. Veja.

Uma correção não é falta de respeito, se alguém se sentiu desrespeitado é realmente lamentável. Desculpo-me. Eu sei que vocês decidem, tanto que por isto estou criando a ficha... E o motivo de eu estar tentando rebeldia é que acho que assim como vocês tem o direito de não achar algo certo vetando-o eu tenho o direito de pelo menos defender minha tese, não?

Democracia.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidad
Convidado



MensagemAssunto: Re: Philip Pelegrini - Berkana 7º ano   Sex 29 Out 2010, 7:36 pm



1. Na "Biografia"


- Enquanto não realizar a correção sobre o parto, eu não voltarei a avaliar a ficha do Senhor.

- E sobre as pontuações. Eu fiz o pedido para reduzir, não retirar completamente ou inseri-las em locais inadequados.


Faça a correção para que eu retorne a avaliar.

Voltar ao Topo Ir em baixo
Philip Pelegrini




MensagemAssunto: Re: Philip Pelegrini - Berkana 7º ano   Sab 30 Out 2010, 3:01 pm

Não há o que corrigir no parto.
Insisto, não mudarei minha narrativa.
O texto está em 3ª pessoa, auto-explicativo.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Rose




MensagemAssunto: Re: Philip Pelegrini - Berkana 7º ano   Seg 01 Nov 2010, 9:04 am

WELCOME AGAIN, MR. PELEGRINI
Well, let's see it. Good Luck.

- Não iremos reavaliá-lo enquanto não alterar a Biografia, quanto ao Parto.

Atenciosamente, Nymph.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Evan Aaron Dawmerith




MensagemAssunto: Re: Philip Pelegrini - Berkana 7º ano   Qua 03 Nov 2010, 7:21 am

Que coisa '-'
Voltar ao Topo Ir em baixo
Philip Pelegrini




MensagemAssunto: Re: Philip Pelegrini - Berkana 7º ano   Qua 03 Nov 2010, 10:01 am

Não alterarei NADA no parto, não há o que alterar!
Durmstrang sempre foi exigente, mas controlar a história do meu personagem eu não aceito jamais. Eu o criei e foi assim que ele nasceu, reavaliem seus conceitos ou avisem-me se todos os players tiverem que ceder aos seus caprichos sendo controlados e se enquadrando em tudo que vocês “os atuais controladores” querem, pois daí eu enfim desisto de tentar criar meu personagem.

Philip Pelegrini é meu, e ele nasceu em uma noite de céu limpo e estrelado. O que há de errado nisto? ‘-‘

#24beijoks
Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: Philip Pelegrini - Berkana 7º ano   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Philip Pelegrini - Berkana 7º ano
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
 :: Manual do Usuário :: Cemitério-
Ir para: